• Nathália Correia

Amor e Gelato: Netflix falha na adaptação e entrega um clichê desconexo


Se você entrou na Netflix nesse final de semana, provavelmente se deparou com um filme que está em alta na plataforma: Amor e Gelato.


A produção é uma adaptação do livro de mesmo nome, da autora Jenna Evans Welch, que conta a história de Lina, uma menina que após a morte de sua mãe viaja para a Itália a fim de realizar o último desejo da mulher. O que ela não imaginava é que essa viagem seria uma enorme oportunidade de se descobrir e superar o luto, além de descobrir o amor. Porém, apesar de o filme estar no top 10 da Netflix, a trama não está agradando muito os fãs, que estão decepcionados com a adaptação feita.


O filme em si é uma boa produção, mas que ele se distanciou muito do livro é inegável. Para você que está curioso, vem ver alguns pontos que tornam Amor e Gelato uma adaptação um pouco decepcionante para os fãs. Caso você ainda não tenha visto o filme, cuidado pois esse texto pode conter spoilers!




Relações mal construídas

Um dos pontos que mais me decepcionou no filme foi a forma desleixada com que as relações foram construídas. Algo importante no livro que faz o leitor se envolver com a história é a formação dos laços afetivos e sua progressão, o que não aconteceu na trama. Durante o filme, as relações acabam ficando superficiais e não tocam o público. Um grande exemplo disso é o relacionamento de Lina e Howard. No livro, nós conseguimos ver a evolução e a aproximação gradativa dos dois, mediante a várias descobertas que caminham rumo ao desfecho idealizado pela autora. Já na adaptação, a interação entre esses personagens é mínima e os acontecimentos fazem pouco sentido dentro da produção.


Ritmo muito acelerado

Outro fator que atrapalhou o desenvolvimento da história foi o ritmo acelerado da narrativa. Em trinta minutos acontece tanta coisa que parece estar na metade do filme, dificultando o entendimento, a assimilação de informações e emoções, além da identificação com os personagens. Isso fez com que momentos importantes fossem transmitidos com pouca relevância e se perdessem no meio do enredo.


Adaptação?

É comum que as adaptações acabem omitindo partes importantes da história ou acrescente cenas que não existiam originalmente, mas, neste caso, o roteiro mudou a maior parte do livro e várias vezes me perguntei onde estava a adaptação. As alterações mais perceptíveis se referem à idade e nome de alguns personagens, além da cidade onde tudo acontece, o que pode ser relevado levando em conta a liberdade criativa. Mas, houve uma grande mudança na personalidade dos personagens, impactando na percepção sobre eles e no engajamento dos fãs. Além disso, há certos acontecimentos importantes no livro que são ignorados ou distorcidos no filme.


O humor atrapalha em alguns momentos

Enquanto assistia ao filme, me deu a sensação de que houve uma tentativa de trazer um caráter mais cômico para a produção, o que não é algo ruim, mas diluiu vários momentos românticos e emocionantes da obra. Os personagens são estereotipados e, por isso, cenas que poderiam ser emocionantes e captar o público se tornam bobas em mais uma tentativa de gerar humor. O diário da mãe, o relacionamento com Howard, as descobertas sobre sua família e até o sentimento de luto acabam perdendo a força e se tornando algo secundário e mais banal no filme.



Funciona como um clichê para o fim de semana

Enquanto adaptação, o filme deixa a desejar, mas enquanto um filme, isolado, de comédia romântica ele funciona bem! A história é bem clichê, o que pode agradar ou não certas pessoas, têm a presença de um clássico triângulo amoroso, a fotografia do filme é linda e o romance é bem levinho. Então, se você estiver procurando um filme para assistir no final de semana, Amor e Gelato pode ser uma boa opção para você!

Posts recentes

Ver tudo