• Nathália Correia

Como seria se…? Romance da Netflix pode te ajudar a matar essa curiosidade

Atualizado: 5 de set.



“Como seria se...?” é o novo filme original da Netflix que está em 2ª lugar no top 10 do streaming. O longa está fazendo muito sucesso entre os usuários e decidi falar um pouco mais sobre essa produção e, quem sabe, te convencer a assisti-la!


A trama conta a história de Natalie, uma jovem de 22 prestes a se formar na faculdade e correr atrás de seus sonhos profissionais. Um dia, ela decide comemorar o encerramento da faculdade tendo uma noite de sexo casual com seu amigo Gabe. Porém, semanas depois, ela começa a passar mal e decide fazer um teste de gravidez. A partir desse momento, o filme se desdobra entre dois enredos: um caso o teste dê positivo e outro caso dê negativo. Assim, nós conseguimos acompanhar a protagonista em ambos os caminhos.



Em primeiro lugar, poderíamos começar analisando essa obra pelo aspecto técnico de produção. Os cenários são incríveis, a simplicidade na qual a versão mãe de Natalie vive é crucial para que o público se identifique e a história se aproxime da vida real. Além disso, o uso das cores foi muito bem pensado. No início do filme, esse aspecto nos ajudam a distinguir qual versão está sendo mostrada, visto que, em momentos tristes o azul é bastante presente, enquanto em Los Angeles, onde se passam a maior parte dos acontecimentos alegres da trama, há um grande uso do laranja e do amarelo.

Além disso, algumas animações são utilizadas para indicar a mudança na fase na qual a personagem se encontra. Isso dá um caráter leve para o filme e contribui muito para o aspecto estético, uma vez que os desenhos são bonitos e divertidos.


Outro ponto legal é como a diretora, Wanuri Kahiu, consegue equilibrar drama, romance e comédia em um único filme. Kahiu também não falhou em construir realidades que seriam de fácil identificação, assim, sendo mãe ou apenas uma jovem iniciando sua vida no mercado de trabalho, é possível se enxergar em Natalie.




Paralelamente a isso, as dificuldades e conquistas estão presentes nos dois caminhos, dessa forma, a produção não traz uma mensagem que visa definir um lado como o correto, já que em ambos a personagem amadurece e se realiza em diferentes aspectos.


Falando sobre lição, a trama transmite vários ensinamentos para o telespectador e acho que o interessante é justamente a experiência individual. Para alguns o enredo pode ser sobre autoconhecimento, para outros maternidade e abdicação, ou sobre correr atrás de seus sonhos e até mesmo sobre a (não ou talvez rs) existência de almas gêmeas.

Por esses e vários outros motivos, “Como seria se...?” é, na minha visão, um filme leve e inspirador para assistir em qualquer fase que você esteja vivendo. Comente aqui se você já assistiu ou se ficou com vontade!

Posts recentes

Ver tudo