• Maria Tosin

5 motivos para assistir Red: Crescer é Uma Fera


A Pixar não para de nos surpreender e o mais novo lançamento da empresa é tão bom quanto Soul, ganhador do Oscar 2021 de melhor animação. Confira a seguir cinco motivos para você assistir a Red: Crescer é Uma Fera.


1 - Dirigido pelo criador de Bao

O curta Bao de 2018 ficou bem conhecido depois de ser exibido nos cinemas antes dos filmes e por trazer com ele temas importantes, como maternidade, independência e vida adulta. A produção conta a história de uma mãe chinesa que vê seu bolinho saindo de casa. Sim, é um bolinho mesmo. É nítido que Domee Shi trouxe esses mesmos temas à tona em Red, pois o foco principal é a passagem de Mei da adolescência para a vida adulta e todas as dificuldades que essa mudança traz.




2 - Trilha sonora criada por Billie Eilish

A Disney acabou escolhendo Billie Eilish e Finneas O’Connell para criar as canções do filme, que conta com uma boyband que Mei e suas amigas são fãs e fazem de tudo para irem ao show. Já se prepara pra ficar com as músicas na cabeça, afinal, não é Disney se não tiver uma trilha sonora incrível.


3 - Nostalgia dos anos 90 e 2000

Há muito tempo a Pixar está fazendo animações para o público adulto, então trazer uma pitada de nostalgia dos anos 90 e 2000 é uma boa ideia. Red se passa nessa época e nos transporta para o tempo em que boybands, pôsteres, revistas, walkmans e bichinhos virtuais faziam parte da nossa adolescência.


4 - Representatividade

Assim como o curta Bao, o filme Red também traz referências da cultura chinesa. O filme se passa em Toronto, no Canadá, mas a família de Mei é chinesa e por conta disso elementos dessa cultura estão presentes em toda a história, inclusive o fofo panda vermelho.


5 - Lições importantes sobre lidar com os sentimentos

Mei acaba descobrindo que ao acessar fortes sentimentos seu panda vermelho é revelado, por isso, ao longo do filme ela aprende formas de lidar com essas facetas. Aprendemos que com a chegada da vida adulta temos que lidar com diversos sentimentos, bons e ruins, e que eles fazem parte de nós, não podemos excluí-los, mas podemos controlá-los e aprender a conviver. Com certeza você vai se identificar com Mei.