G-KZDPBHECNM
top of page
  • Foto do escritorFabrizzio Laroca

Twisters: é Ação com A maiúsculo!

A convite da Warner Bros, fomos ao IMAX assistir com acesso antecipado à Twisters! O filme que é dito pelo próprio diretor como um “novo capítulo” e não uma sequência direta do primeiro filme, chega aos cinemas no dia 11 de julho e promete trazer muita ação e tensão para o público! Vem saber o que achamos

Twisters: é Ação com A maiúsculo!

O enredo

A história é estrelada por Daisy Edgar-Jones, que interpreta Kate Cooper, uma ex-caçadora de tornados de Oklahoma, que sofreu severas perdas em um trágico evento, enquanto ela e outros 4 amigos caçavam um tornado para recolher dados para seu projeto de pesquisa.




Agora Kate trabalha em um setor de previsão do tempo em Nova York, bem longe das aventuras e emoções em meio às temporadas de tornados em Oklahoma. Mas depois da chegada de seu velho companheiro Javi (Anthony Ramos) e uma proposta de tentar estudar o fenômeno mais de perto e voltar à vida de caça-tornados, Kate acaba acessando antigas memórias e abrindo velhas feridas.

Twisters: é Ação com A maiúsculo!

O roteiro

Kate Cooper tem um dom, ela consegue entender melhor do que ninguém como as tempestades funcionam, consegue sentir quando um tornado irá se formar e quando é apenas um alarme falso. Ela não só tem talento técnico como também emocional e entende o fenômeno antes mesmo de estudá-lo.


E é esse dom que faz com que Kate acabe sendo trazida de volta à vida de caçadora de tornados, voltando diretamente para sua terra natal, onde ela acaba encontrando um charmoso, egocêntrico e imprudente influenciador digital, um caipira do Arkansas chamado Tyler Owens, interpretado por Glen Powell.



A dinâmica entre a relação de Kate com seu antigo amigo Javi contrasta com a presença inesperada de alguém como Tyler e é claro, sua equipe, faz essa relação ser algo cada vez mais divertido e intrigante.


O filme mostra uma Kate, que ao enfrentar seus medos, tenta reerguer aquela Kate de anos atrás, fechando feridas antigas e trazendo uma nova perspectiva para o que ela faz e gosta de fazer. Isso tudo enquanto busca reencontrar a paixão e empolgação pelo que faz e sempre gostou de fazer.

Twisters: é Ação com A maiúsculo!

O elenco

As atuações são clichês, mas como costumo dizer, é aquele clichê bem executado. O elenco entrega tudo de forma excelente, com seus personagens caricatos, mas com certa profundidade em cada um, que te faz mergulhar e querer conhecer e entender mais sobre cada um em alguns momentos mais intimistas.


Daisy Edgar-Jones entrega uma atuação de certo modo complexa, quando trabalha os conflitos entre o que quer fazer e o medo de executar algo que já a feriu muito antes. Anthony Ramos é para mim, um ponto de enfraquecimento dentre as atuações, com momentos muito exagerados e momentos que pediam mais da entrega do ator. Glen Powell entrega o galã caricato e completamente inconsequente de forma muito convincente, trazendo sempre um pouco mais dos personagens secundários da sua equipe quando estava em cena, apesar de muitos deles terem pouquíssimo impacto real na história.



A química entre Kate e Tyler é gritante e tem certas cenas de simples trocas de olhares entre os dois que o público fica com a sensação de “por favor, arranjem um quarto, vocês dois”.


Gostaria de evidenciar aqui a atuação de alguns coadjuvantes como a de David Corenswet (o próximo Superman) que interpreta o sócio mal caráter de Javi de forma espetacular! E também, a atuação de Maura Tierney, que nos momentos finais do filme, vem trazer toda a sua presença de tela em pouquíssimos mas excelentes momentos.

Twisters: é Ação com A maiúsculo!

A direção

O elenco entrega muito bem, o roteiro não é cansativo apesar de falar sempre sobre o mesmo assunto, mas sejamos honestos, isso se deve ao fato da combinação inesperada e muito bem vinda entre o diretor Lee Isaac Chung (Minari) e o ator Glen Powell, que disse em entrevista recente, que nas gravações em Top Gun Maverick, recebeu algumas dicas de um dos maiores nomes da ação na atualidade, Tom Cruise.A direção de Lee, impressiona quando traz belas cenas de ação com sequências extremamente tensas e ao mesmo tempo, mantém agradável o ritmo do filme quando mescla isso com cenas profundas e emotivas, bagagem que já acompanha o diretor, que fez isso muito bem em Minari.




O nosso veredito

O filme diverte e entrega muito bem o que era esperado! Uma atualização digna do filme de 1996, tanto no quesito tecnológico, quanto na entrega em entretenimento, o longa está cheio de sequências de ficar na ponta da cadeira e com vários momentos que emocionam! Daisy Edgar-Jones e Glen Powell entregam uma atuação fora da curva e uma química invejável, Ah, indico fortemente que esse filme seja visto nas telonas, de preferência em IMAX, para aproveitamento da melhor experiência audiovisual disponível!


Comments


bottom of page