• Maria Tosin

500 Dias com Ela: o que ninguém te contou sobre o filme


Todo ano alguém que você conhece surge para discutir sobre esse filme lançado em 2009. No ano do lançamento, a maioria dos espectadores viram Summer como uma mulher sem coração e que destruiu a vida de Tom, mas com o passar dos anos as pessoas começaram a entender sobre o que realmente se tratava o filme: expectativas.


Até os anos 2000 o cinema e a música retratavam romances irreais e que deixavam qualquer pessoa sem esperanças de ser feliz no amor. Em 2009, os roteiristas Scott Neustadter e Michael H. Weber resolveram escrever o filme 500 Dias com Ela como uma forma de protesto contra esse modelo de relacionamento ideal, mas isso não quer dizer que eles não acreditam no amor, Scott Neustadter inclusive trabalhou no filme A Culpa é das Estrelas.


Vamos relembrar a história do filme: Summer acaba de chegar na cidade, Tom e ela trabalham no mesmo lugar, se aproximam e começam a ter uma relação mais íntima. No início dessa relação Summer deixa claro que não quer algo sério, que não vai se comprometer. Tom parece ignorar tudo e cria um filme romântico em sua cabeça, do qual Summer não faz a menor ideia, pois ela é uma pessoa e não é obrigada a atender as expectativas criadas por Tom. Qualquer diálogo ou acontecimento se torna algo muito maior na cabeça de Tom, um simples convite para o aniversário de Summer já pode parecer que ela quer viver o resto da vida ao lado dele.


Não vamos colocar toda a culpa em Tom, claro que Summer pecou várias vezes por não se comunicar de forma sincera e parecer gostar de deixar o garoto de “molho” e a desejando. Com certeza durante a sua vida, em algum momento, você já foi o Tom ou a Summer, e se você defender um dos personagens automaticamente vai estar falando que tipo de pessoa você é nos relacionamentos, então não temos como culpar alguém pela história de amor que deu errado.


Para finalizar, quero compartilhar uma informação que descobri em um podcast, além de ser meu filme preferido, também tem uma trilha sonora que eu amo muito, pois cada música combina com o momento e o personagem e eu descobri por que. O diretor, Mark Webb ficou conhecido por fazer vários videoclipes de música, na época em que Pixies e The Smiths estavam bombando, então ele simplesmente pegou suas referências musicais e as colocou no filme.


Agora que você talvez tenha entendido melhor essa produção, já pode iniciar uma discussão com seus amigos a qualquer momento.



Posts recentes

Ver tudo