• Maria Tosin

O que achamos da terceira temporada de Sex Education


A tão esperada terceira temporada de Sex Education chegou à Netflix nas últimas semanas e foi aprovada por 100% dos críticos no site Rotten Tomatoes, algo muito difícil se tratando de uma série criada e produzida pela Netflix, que nem sempre prioriza o roteiro.


Na nova temporada podemos compreender melhor os sentimentos de Otis e a relação entre Eric e Adam, personagem que teve um grande destaque na história. Otis começa a nova temporada em um relacionamento casual com Ruby, a garota mais popular da escola. É engraçado ver ele tentando se encaixar em um novo padrão para agradá-la. Logo vemos também o relacionamento de Adam e Eric evoluindo e os dois tentando transar pela primeira vez. A nova temporada também foca em Jean, que está grávida e tenta estabelecer uma relação com Jakob.



Essas são as histórias que a terceira temporada consegue desenrolar melhor durante os 8 episódios de quase 1 hora cada. O problema estava nas outras histórias e assuntos que a série tentou abordar de maneira completamente rasa e pode ter mais confundido os espectadores do que ajudado a compreender melhor o sexo e a sexualidade das pessoas.


Em alguns dos episódios o coito interrompido foi abordado na história de Olivia, e a única solução dada na série foi que Olivia propusesse que seu namorado usasse camisinha, sem abordar de forma mais profunda esse tema. Duas novas personagens também foram incluídas na trama, elas se identificam como não binárias, que é quando uma pessoa não se identifica nem com homem e nem com mulher, sendo assim um gênero neutro. Mas como se trata de apenas 8 episódios, esse tema também foi abordado superficialmente.


Resumindo, a terceira temporada de Sex Education poderia ter entregado mais, mas resolveu focar em tantos assuntos que não conseguiu finalizar as discussões que iniciava. É claro que ainda é uma boa produção e que vale a pena ser vista para contemplar os personagens que amamos.




Posts recentes

Ver tudo