• Arthur Ripka Barbosa

Continuações que respeitaram os filmes originais

Nos últimos anos os grandes estúdios começaram a apostar na nostalgia como porto seguro na tentativa de trazer ou então reaproximar o público de universos de grande sucesso no passado. São inúmeros os reboots e continuações lançados e que muitas vezes até tentam modernizar e inovar a história, mas nem sempre com o sucesso desejado. Essa lista vai trazer algumas produções que continuaram a história original e que conseguiram fazer isso com sucesso.


Cobra Kai

Antes do YouTube investir nessa série, How I Met Your Mother reacendeu um debate que Karate Kid (1984) criou: afinal, quem é o verdadeiro Karate Kid, Daniel Larusso (Ralph Macchio) ou Johnny Lawrence (William Zabka)? Influenciado por isso ou não, o fato é que a série reaviveu bem o universo do filme original - até mais que a versão de 2010 com Jaden Smith e Jack Chan - ao acompanhar Lawrence comandar o Cobra Kai, seu antigo dojô, enquanto Daniel vira somente um vendedor de carro. Originalmente produzido e distribuído pelo YouTube Originals, a série virou um sucesso imediato ao chegar recentemente na Netflix.


Blade Runner 2049

Blade Runner é um caso interessante. O 1º filme, lá de 1982 e estrelado por Harrison Ford, não foi um sucesso de crítica e muito menos de público, mas se tornou cult ao longo do tempo, o que fez o diretor Denis Villeneuve arriscar uma continuidade 35 anos depois. A história que se passa 29 anos depois da original, acompanha o replicante policial K (Ryan Gosling) na busca por Deckard (Ford) na tentativa de solucionar um mistério do passado de Deckard e que pode envolver os dois. Mas a “maldição” do 1º filme parece ter se repetido com a continuidade, com a diferença que só não fez muito sucesso com o público, enquanto a crítica amou o filme, muito devido também à sua parte técnica, como a fotografia e os efeitos visuais, ambos vencedores do Oscar em suas categorias.


Toy Story 3

21 anos separaram Toy Story 2 de sua continuação que saiu em 2010. O tempo também passou para Woody e seus amigos, que veem seu dono crescer e ir para faculdade. Mas nessa mudança na vida de Andy, ele resolve doar seus brinquedos para uma creche e eles precisam aceitar isso, coisa que Woody não faz muito bem. Novamente o filme sabe dosar aventura e as emoções muito bem, sendo essa fundamental para o que o final seja marcante e quebre até mesmo aquelas pessoas que tem uma pedra de gelo no lugar do coração e vou parar de escrever por aqui antes que comece a chorar só de lembrar.


Vidro

Esse filme é na verdade uma conjunção de dois outros excelentes filmes: Corpo Fechado (2000) e Fragmentado (2016). Desde do excelente plot twist criado por M. Night Shyamalan no final de Fragmentado, que conectou o filme com Corpo Fechado, os fãs ficaram ansiosos por Vidro. O filme de 2019 enfim conecta as histórias de Dunn (Bruce Willis), Kevin e suas outras 23 personalidades (James McAvoy) e Mr. Glass (Samuel L. Jackson), ao colocar todos internados numa clínica psiquiátrica e são objetos de um estudo conduzido pela Dra. Ellie Staple (Sarah Paulson) sobre complexo de super-herói. O filme não foi tão bem nas críticas, muito porque se esperava um verdadeiro épico, enquanto foi entregue um filme de estudo de heróis, bem como foi Corpo Fechado.