• Arthur Ripka Barbosa

Séries com heróis fora do comum

Em 2008, quando a Marvel lançou o primeiro filme do Homem de Ferro, eles não imaginavam que fariam o gênero de filmes de herói se tornar a nova mina de ouro dos cinemas. Assim como a própria Marvel surfou na onda dos sucessos dos filmes do X-Men do início da década e dos clássicos Homem-Aranha de Tobey Maguire, diversos estúdios de TV resolveram aproveitar o hype criado pela editora de Stan Lee e criaram séries inspirados em HQs até a exaustão do formato. Mas se muitas séries seguem o mesmo formato, outros vão em caminhos opostos e trazem um bom respiro pro gênero. Esta lista irá trazer alguns exemplos disso.


The Boys

Não teria como começar a lista com uma série de heróis em que os heróis são os vilões dela. Inspirados nos quadrinhos criados por Garth Ennis e Darick Robertson, ela acompanha Hughie (Jack Quaid) se aliando com Billy Butcher (Karl Urban) e seus companheiros na tentativa de se vingar da morte de sua namorada por um dos membros d’Os 7, um grupo de heróis corruptos gerenciados pela corporação Vought International, que dita os atos dos superpoderosos baseado no marketing. A série, que abusa do absurdo nas cenas de violência, é exclusiva do Amazon Prime.


Legion

Criado por Noah Hawley, a série está no universo dos filmes do X-Men e conta a história de David Haller (Dan Stevens), um jovem diagnosticado com esquizofrenia e que vive internado em clínicas psiquiátricas. Porém, após um incidente que vitimiza sua amiga Lenny (Aubrey Plaza), Haller descobre que ele é um poderoso mutante e começa a ser perseguido por uma divisão que caça mutantes. Com um design dos anos 60, o grande diferencial da série é a forma bem pouco usual que é desenvolvida, a qual confunde a cronologia e a realidade através de uma montagem que segue a visão esquizofrênica do protagonista.


Demolidor

A primeira série urbana da Marvel/Netflix, a série do Homem Sem Medo também é a de maior sucesso. Com a premissa de trazer uma pegada mais adulta e realista para os heróis, ela segue a história de Matt Murdock (Charlie Cox), um advogado cego que aprende a usar seus demais sentidos ao extremo e com isso combater o crime em Hell’s Kitchen. A série serviu para reviver o personagem após o desastre do filme com Ben Affleck e também tornou clássicas as versões do Rei do Crime de Vincent D’Onofrio e do Justiceiro de Jon Bernthal. Além disso, adaptou o clássico das HQs, “A Queda de Murdock” em sua 3ª temporada. Se não fosse pela racha entre a Marvel Studios e a Marvel TV, esses personagens poderiam fazer parte do Universo Cinematográfico da Marvel. Suas 3 temporadas estão disponíveis na Netflix.


Agents of SHIELD

Essa talvez seja série mais comum da lista, mas que soube se reinventar com o tempo. A série a princípio fazia parte do MCU, mas isso foi se perdendo ao longo dela e tornou-se autossustentável. Ela começa após os eventos do primeiro filme dos Vingadores e traz de volta Phil Coulson (Clark Gregg), que reúne um grupo de notórios agentes da SHIELD para resolver problemas que os Vingadores não seriam necessários. Além dessa inicial relação com o cinema, a série teve grandes méritos ao perceber que o formato estava saturado e então dividiu suas últimas temporadas de 23 episódios em mini-arcos, o que deu uma dinâmica melhor às histórias contadas. Suas temporadas são exibidas pela Sony e hoje ela está na 7ª e última temporada, que ainda não tem data de estreia no Brasil.


Quer escrever aqui? Envie um e-mail pra gente!

©2019 por pippoca.