• Maria Tosin

O que achamos do novo Rebelde


Já vou avisar que eu era uma grande fã da versão original de Rebelde e acompanhei a novela do início ao fim, colecionei revistas, CDs e até álbum de figurinhas da banda. Essa produção fez parte da minha adolescência e com certeza fez parte da adolescência de muitos jovens que nasceram nos anos 90.

A expectativa para o lançamento de uma nova versão pela Netflix estava alta, pois com certeza o streaming gastou milhões para adquirir os direitos do uso do nome e outros elementos da novela mexicana. A seguir vou deixar minha opinião sobre o resultado da série, sem dar spoilers.


Aposto que logo de cara você já vai tentar identificar quem é quem na nova versão da banda, qual personagem é a nova Mia, Miguel, Roberta, Lupita, Giovanni e Diego. Apesar deles terem modificado cada personagem ainda assim foi possível identificar alguns traços que lembravam os antigos integrantes, mas vamos focar no ponto principal e mais fraco da produção.

Há tempos eu venho enfatizando que a Netflix deveria focar mais em roteiros elaborados e menos em atores renomados, pois o ódio do público com as produções originais estava aumentando e ela até melhorou nesse ponto, não é à toa que esse ano apostou em produções focadas no Oscar, mas infelizmente em Rebelde a plataforma deixou o roteiro novamente de lado.


A impressão que temos é que o streaming se apoiou no peso do nome Rebelde para apenas oferecer ao telespectador uma nostalgia básica e quem sabe alcançar os adolescentes que na época de Rebelde, em 2004, ainda eram bebês. A Netflix apenas esqueceu que quem certamente iria assistir a série eram os fãs nascidos nos anos 90 e que atualmente já estão com quase 30 anos, um roteiro básico e sem graça não iria prender a atenção deles.


Apesar das falhas grotescas na produção, a série já foi renovada para a 2° temporada, mas é bom a Netflix melhorar esse roteiro, pois a próxima temporada pode correr o risco de não ter tanta audiência. Se for para conferir um remake mal feito, eu prefiro assistir Elite, que contém os mesmos elementos, mas com um roteiro muito mais elaborado.

Se você ainda não assistiu a nova versão de Rebelde, confira o trailer abaixo e veja se vale a pena tirar suas próprias conclusões.